Reflexões Bíblicas
Mensagens ministradas no Programa Tempo de Festa
Rádio Popular FM e Rádio Água Viva On-Line

Eu Também Tenho Esperança


Eu não finjo ter esperança. Na verdade eu tenho esperança. Não se trata de uma esperança fabricada por mim mesmo para suportar e esconder dos outros a desesperança interior.

Minha esperança não é simplória, não é apagada, não é superficial, não é vaga, não é pequena, não é medrosa, não é de ontem. Sou feliz porque tenho esperança.

Minha esperança não se limita apenas a esta vida. Se assim fosse, seu seria, então, como explica o apóstolo Paulo, o mais infeliz de todos os homens. Minha esperança atravessa o vale da sombra da morte pela mesma razão do salmista: “porque o Deus Eterno está comigo” (Salmos 23.4).

Não estou muito por dentro do outro lado, mas eu sei que ele existe e tem um esplendor “que olho nenhum viu, ouvido nenhum ouviu e mente nenhuma concebeu” (1ª Coríntios 2.9).

Não estou decepcionado com o Messias. Se Ele não libertou Israel do jugo romano, se Ele não acabou com a injustiça, se Ele não eliminou a miséria, se Ele não implantou de forma visível o Reino de Deus... é porque Ele veio para resolver primeiro o problema do pecado. Estou com a mesma opinião de João Batista: “Jesus é o Cordeiro de Deus” (João 1.36). Não um cordeiro qualquer, mas o Cordeiro de Deus, o último sacrifício pelos nossos pecados.

Também não estou confuso. Não vejo incoerência alguma entre a profecia do Antigo Testamento e a história do Novo Testamento. Jesus veio uma vez e virá segunda vez. O tempo entre um evento e o outro nunca foi revelado. E eu continuo a falar como os judeus piedosos: “Embora Ele demore, esperarei diariamente pela sua chegada”. A diferença entre mim e esses judeus é que eles esperam o Messias que, para nós, cristãos, já veio, e eu espero a Sua segunda vinda.

Não perdi a menor esperança da era messiânica. Eu também a aguardo. A bagagem da era messiânica não é romântica, não é tola, não são ruas de ouro nem cachos de uva em cada poste, nem muitas outras projeções egoístas e materialistas da pobre mente humana, que variam de acordo com os diferentes credos religiosos, diferentes situações e diferentes tempos.

A era messiânica encerrará o pecado, encerrará a dor, encerrará a doença, encerrará a morte, encerrará o pânico, encerrará a confusão, encerrará a opressão, encerrará a injustiça, e encerrará a guerra e todo o mal. Não porque eu quero assim, mas eu quero assim porque assim está escrito. Foram as Escrituras Sagradas que colocaram essa esperança dentro de mim. E tudo isso combina com o caráter de Deus, com o poder de Deus, com o amor de Deus, com a misericórdia de Deus e com o triunfo de Deus.

A cada dia que passa, eu me encontro um pouco mais perto da grande chegada. Estou à espera de Jesus, não mais como o Servo Sofredor, como aconteceu na primeira vinda, há mais de dois mil anos. Desta vez Jesus virá com poder e “muita glória” (Mateus 24.30). Todo o olho O verá. Então todos vão cair para frente de joelhos, para confissão, para adoração e para obediência.

Estou também à espera do tão sonhado novo céu e nova Terra, que recolocará a humanidade no Éden, como era antes da queda, antes da entrada do pecado no mundo.

Então direi em uníssono com todas as demais vozes, dos vivos, dos mortos ressuscitados, de anjos, de homens e de todas as outras criaturas porventura existentes: “Aleluia!”.

E eu convido você, querido leitor, a fazer parte desta esperança, desta promessa e deste amor!

A Bíblia diz: (Salmos 62.5) "Somente em Deus, ó minha alma, espera silenciosa, porque dele vem a minha esperança".

Se esta mensagem tocou em seu coração e você quer conhecer mais acerca de Deus, de Jesus, do Espírito Santo e da Igreja, entre em contato conosco. Fale de sua de decisão, e faça seu pedido de oração: {Clique aqui}


Reflexão anterior - Próxima reflexão -

Outras reflexões


Dê a sua Opinião sobre esta reflexão - Imprima esta reflexão