Reflexões Bíblicas
Mensagens ministradas no Programa Tempo de Festa
Rádio Popular FM e Rádio Água Viva On-Line

Conivência


Atualmente, as informações circulam de forma livre e célere. Por conseqüência, é possível ter uma noção de conjunto dos valores e hábitos da humanidade. Certas ocorrências se repetem com tanta freqüência, nos mais diversos locais e ambientes, que chamam a atenção. E a observação do que ocorre no mundo por vezes causa estarrecimento.

Uma das coisas que impressionam é a audácia das pessoas desonestas. Elas parecem ter uma habilidade incomum para se colocar nas posições mais relevantes. Na política, na educação, nos meios jurídicos, empresariais e religiosos, a imprensa não cessa de apontar focos de corrupção e desonestidade. Já é bastante ruim haver tantas pessoas desleais. Mas o que causa estupefação é como elas assumem facilmente posições de liderança.

Ninguém consegue disfarçar sua essência por muito tempo. Quem não possui um nível ético satisfatório evidencia isso em inúmeras oportunidades. Ninguém se corrompe de repente. Uma pessoa genuinamente honesta não acorda um dia disposta a se apoderar do que não lhe pertence. O ser humano revela suas mazelas morais ao longo do tempo.

Sendo assim, como é possível que seres viciosos se tornem tão influentes? Em todo e qualquer ambiente, existem homens íntegros e inteligentes. Por que esses não agem, para bloquear a influência perniciosa?

À primeira vista, parece pouco anti-ético evidenciar os vícios de um semelhante, para limitar sua ascensão. Mas ocorre que a ética não possui como bandeira a ingenuidade e a conivência. É erro imaginar que o homem bondoso deve ser tolo e falho de percepção. A pessoa íntegra e generosa deve procurar ser um fator de progresso e bem-estar no mundo e não agir de forma sentimental ou omissa.

Nessa delicada questão, importa considerar a atitude da ação e quanto bem ela pode produzir. Certamente é condenável divulgar os defeitos do próximo por malevolência, com a intenção de denegri-lo. Mas também é censurável prestigiar a comodidade de um único ser, em detrimento de inúmeros outros.

A corrupção que atinge um ambiente prejudica a todos os que nele estão. O dinheiro público surrupiado por alguns faz falta na construção de hospitais e escolas. O desfalque realizado em uma empresa talvez seja a causa de sua falência. Trata-se da vantagem desonesta de uma pessoa causando a desgraça de muitas outras.

A compaixão não justifica a inércia perante esse tipo de situação. Nada existe de louvável em assistir-se silenciosamente a atos desonestos que prejudicam o meio social. Na verdade, a timidez e a acomodação dos homens íntegros favorece o crescimento dos desonestos. Grande parcela de culpa pela corrupção que cresce no mundo se deve às pessoas honestas, pois caso estas desejassem, se levantariam contra estes corruptos.

Quando o vício for combatido, sem ódio, mas firmemente, ele encontrará pouco espaço para proliferar. É preciso ter compaixão pelo delinqüente, mas jamais compactuar com seus atos.

Assuma, pois, sua responsabilidade perante o mundo em que você vive. Por timidez ou preguiça de desempenhar tarefas e ocupar postos, não permita que eles caiam em mãos indignas. A título de ostentar virtude, não simule ignorância e nem seja conivente.

Albert Einstein disse: "O mundo é um lugar perigoso; não somente por aqueles que fazem o mal, mas também pelos que olham e não fazem nada".

A Bíblia diz: (Tiago 4.17) Portanto, aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz nisso está pecando”.

Se esta mensagem tocou em seu coração e você quer conhecer mais acerca de Deus, de Jesus, do Espírito Santo e da Igreja, entre em contato conosco. Fale de sua de decisão, e faça seu pedido de oração: {Clique aqui}


Reflexão anterior - Próxima reflexão -

Outras reflexões


Dê a sua Opinião sobre esta reflexão - Imprima esta reflexão