Reflexões Bíblicas
Mensagens ministradas no Programa Tempo de Festa
Rádio Popular FM e Rádio Água Viva On-Line

Privilégio de Quem é Íntimo


Os dias são difíceis. Em dado momento o assunto é doença. Seja numa casa pobre ou numa sofisticada mansão, o câncer é sempre câncer. A dificuldade de vencê-lo, o risco da morte, o confronto com a finitude... tudo é muito parecido e universal, e afeta qualquer um.

Noutro momento da vida o assunto é relacionamentos, que não deixa de gerar a sua dor, mesmo que seja a dor d’alma. É a doença do coração que diz “estou aqui” quando a família se desencontra ou mesmo se separa. O jovem se droga, o sexo passa a ser desenfreado, o adolescente se torna incontrolável, e o casal parece estar sempre discutindo. O único ponto de encontro passa a ser o desencontro. Relações humanas despedaçadas são, afinal, coisas que doem. São doenças na alma.

E, não por último, aparece o tal do desemprego. Está aqui e ali, na família e na parentela, e ninguém parece esta livre dele. Uma peste moderna que os de cima dizem ser inevitável e as estatísticas registram com frieza. O desemprego no entanto, é portador de sofrimento pessoal e também coletivo. A pessoa sofre no entardecer de mais um dia sem resultado. A família sofre com a ausência de perspectivas, sofre com o crescente tom de angústia e nervosismo, e com as contas aumentado e o saldo bancário minguando.

Quando fazemos um diagnóstico do nosso tempo dizemos tratar-se de um tempo difícil, carente de perspectivas e soluções. Não é, pois à toa, que este é um tempo de tanta busca. Espiritual inclusive. Os terreiros são procurados, as filas nos supostos contadores e controladores da sorte são intermináveis, os médiuns estão em voga e a sociedade sabe o nome deles; e as próprias Igrejas ampliam e escancaram suas portas. “Igrejas 24 horas” a atender problemas e dificuldades em ritmo de 24 horas. Dias de angústias em busca de um ouvido e uma resposta.

Em dias como os de hoje, uma leitura recomendada poderia ser a dos Salmos. É uma leitura como os Salmos que a gente acaba se encontrando quando as emoções determinam fortemente a nossa vida. Seja para cima ou para baixo. Mais para baixo do que para cima.

Os Salmos nos falam da absoluta legitimidade de buscar a Deus nos momentos de crise e de dor, momentos de angústia e de perguntas. Aliás, os Salmos nos falam de que este é o momento de buscar a Deus, e retratam essa busca com uma transparência e um realismo humano surpreendente. Não existe espaço para “maquiagens”, e os salmistas emergem com suas perguntas, suas angústias e até suas raivas e crises de fé.

Há momentos em que ele mesmo não entende o que lhe está acontecendo. Aliás, às vezes nem a Deus o salmista consegue entender! Ele no fundo. É corajoso. Ele tem a coragem de dar voz àquilo que nós apenas pensamos.

Mas o que impressiona mesmo no Livro de Salmos, é a intimidade do salmista em relação a Deus. Ele fala para com Deus de uma maneira aberta, como se fala à alguém chegado, íntimo, amigo. E é aí que entra Jesus Cristo. Jesus nos revelou o Pai. Nos dá a oportunidade de sermos filhos, e podermos nos relacionar com Deus desta forma.

Nos dias como os de hoje, não é religião que irá trazer soluções para as nossas vidas, mas sim, a intimidade com Deus, que só é possível, única e exclusivamente por meio de Jesus Cristo.

A Bíblia diz: (Salmos 25.14) "A intimidade do SENHOR é para os que o temem, aos quais ele dará a conhecer a Sua aliança".

Se esta mensagem tocou em seu coração e você quer conhecer mais acerca de Deus, de Jesus, do Espírito Santo e da Igreja, entre em contato conosco. Fale de sua de decisão, e faça seu pedido de oração: {Clique aqui}


Reflexão anterior - Próxima reflexão -

Outras reflexões


Dê a sua Opinião sobre esta reflexão - Imprima esta reflexão