Reflexões Bíblicas
Mensagens ministradas no Programa Tempo de Festa
Rádio Popular FM e Rádio Água Viva On-Line

Cristãos sem Ousadia


É preciso ousadia para entrar na presença de Deus. Ele é Santo demais e nós somos pecadores demais.

No Antigo Testamento havia um compartimento sagrado tanto no Templo móvel de Moisés, como no Templo de alvenaria de Salomão. Chamava-se o Santo dos Santos. Uma cortina de três cores fazia separação entre o Santo Lugar (a nave do Templo onde todos entravam) e o Santo dos Santos (onde apenas o Sumo Sacerdote entrava uma vez por ano).

O regulamento era muito rígido: Quem entrasse no Santo dos Santos morreria. Se o Sumo Sacerdote entrasse ali em outro dia que não fosse o grande dia da expiação, também ele morreria. Toda essa severidade era para evidenciar a santidade absoluta de Deus, a pecaminosidade absoluta do homem e a separação que havia entre um e outro. Isso gerava uma carência enorme, a carência de um intermediário, a carência de alguém que abrisse o caminho até o Santo dos Santos, que representava o Trono de Deus.

Quando Jesus Cristo deu sua vida como oferta pelo pecado (Isaías 53.10) na sexta-feira da semana da paixão, às três horas da tarde, a cortina que fazia separação entre o Santo Lugar e o Santo dos Santos se rasgou em duas partes de alto a baixo, deixando a descoberto o interior do compartimento no qual ninguém ousava entrar (Mateus 27.51).

De repente, o Santo dos Santos foi devassado. Não é mais proibido entrar ali. Não existe mais risco de vida. “Por causa do sangue de Jesus, nós agora podemos ir diretamente até dentro do Santo dos Santos, onde Deus está. Este é o caminho novo, recém-aberto e vivificante que Cristo nos franqueou ao rasgar a cortina – o seu corpo humano – para nos dar acesso à presença santa de Deus” (Hebreus 10.19-20).

Por estranho que pareça, existem muitos cristãos sem ousadia suficiente para entrar no Santo dos Santos. Não entram porque não sabem usufruir do sacrifício de Jesus Cristo.

Atrás da ênfase demasiada dada à mãe de Jesus, está a falta de intrepidez para entrar no Santo dos Santos. Talvez esses cristãos tenham sido evangelizados erradamente e conhecido não um Jesus de braços abertos, mas um Jesus de chicote na mão. Daí o apelo à Maria, para que ela, como mãe, aplaque a ira desse Jesus.

Passando por cima do princípio de que existe um só Mediador entre Deus e os homens, que é Jesus (1ª Timóteo 2.5), esses cristãos estão deslocando Maria de sua honrada posição de mãe do Redentor para a missão de co-redentora, o que ela não é. E o resultado é que a grande massa de cristãos vai a Maria, e não e Jesus.

Em última análise, o povo está acostumado mais com Maria do que com Jesus. Maria parece dispor de mais compreensão, de mais ternura, de mais tempo e de mais influência do que Jesus. No entanto, Jesus está de braços abertos, e Ele mesmo diz: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai senão por mim” (João 14.6).

Essa situação precisa mudar. É necessário que a ala mais cristocêntrica da Igreja pregue somente Jesus e leve o rebanho a entrar ousadamente no Santo dos Santos. Pois agora é perfeitamente possível comparecer ante o Trono de Deus para receber perdão, purificação e paz, por intermédio daquele que é chamado de Salvador do mundo (João 4.42).

A Bíblia diz: (1 Timóteo 2.5) "Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem".

Se esta mensagem tocou em seu coração e você quer conhecer mais acerca de Deus, de Jesus, do Espírito Santo e da Igreja, entre em contato conosco. Fale de sua de decisão, e faça seu pedido de oração: {Clique aqui}


Reflexão anterior - Próxima reflexão -

Outras reflexões


Dê a sua Opinião sobre esta reflexão - Imprima esta reflexão