Reflexões Bíblicas
Mensagens ministradas no Programa Tempo de Festa
Rádio Popular FM e Rádio Água Viva On-Line

O Natal que Comemoramos


O NATAL QUE COMEMORAMOS! É nesta frase que gostaria que estivéssemos pensando hoje, pois, precisamos pensar “QUE NATAL COMEMORAMOS?”.

Será apenas uma manjedoura e um bebê que nasceu? Será apenas um velhinho de vermelho, presentes, muita comida, reunião em família e pronto; celebramos o Natal? É para isso que serve o Natal? Ou será diferente, o que você faz de diferente disso?

Não é nisso que tem se resumido o nosso Natal? Não é verdade que o velhinho de vermelho passa a ser a pessoa mais presente nos dias do Natal? E ainda existem aqueles que dizem que quem não ensina sobre o "bom velhinho" está apagando o brilho do Natal, a fantasia de criança!

QUE NATAL QUE COMEMORAMOS?  E POR QUE O COMEMORAMOS?

Na verdade nós sabemos que Jesus não nasceu em dezembro, que na Bíblia não existe esta data, não há nenhuma menção desta festa. Tanto que muitas Igrejas Evangélicas não comemoram o Natal, não gostam nem de ouvir um FELIZ NATAL! Mas precisamos ter maturidade e entender algumas passagens na Bíblia e colocá-las em prática e com sabedoria.

Essa data, o Natal, em si ameniza a aspereza da vida e trás ao coração das pessoas uma boa vontade, que dantes em outra época do ano muitos não têm. Essa data, o Natal, todos estão voltados de uma maneira ou de outra para buscar paz, buscar uma certa harmonia familiar.

E esse sentimento no coração das pessoas tem um porque espiritual. O Nascimento de Jesus nos trouxe algo muito especial, o nascimento de Jesus é um marco na humanidade, nenhum outro nascimento abalou as estruturas do mundo espiritual e físico como o nascimento de Jesus.

A Bíblia diz: “Eu, Jesus, enviei o meu anjo para vos testificar estas coisas às igrejas. Eu sou a Raiz e a Geração de Davi, a brilhante Estrela da manhã” (Apocalipse 22.16).

Nesta passagem Jesus já havia vencido todas as forças do mal, Jesus já havia vencido a morte, aqui Jesus já havia encerrado todo processo de julgamento, já estava no céu ao lado do Pai, Ele já estava totalmente glorificado. Mas Jesus faz menção, Ele lembra que Ele é da geração de Davi, Ele faz questão de lembrar Sua origem humana, Jesus nos lembra aqui que Ele nasceu como homem. E por que? Você já pensou nisso? Por que Jesus agora já glorificado, o Jesus ressuscitado, que venceu a morte, fala sobre a Sua origem humana?

Porque a grande vitória que nós temos hoje se deve ao fato de Jesus ter nascido.

A Bíblia diz: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai. E a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome(João 1.1; 1.14; 1.12).

Aqui nós podemos ver que o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e a todos quantos O RECEBERAM, aos que CRÊEM no seu NOME, foi-lhes dado o PODER de SEREM feitos FILHOS DE DEUS.

Vamos entender algo muito importante na Palavra de Deus, pois Deus trabalha com legalidade:

A Bíblia diz: “Vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos. E, porque vós sois filhos, enviou Deus ao nosso coração o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai! De sorte que já não és escravo, porém filho; e, sendo filho, também herdeiro por Deus(Gálatas 4.4-7).

Talvez estes textos expliquem o motivo da Palavra de Deus falar sempre da encarnação de Jesus, desde de Gênesis quando temos a promessa de que da semente da mulher viria Aquele que esmagaria a cabeça da serpente.

Jesus realizou Sua obra de resgatar o homem, de ter autoridade sobre tudo e sobre todos porque se tornou homem.

A Bíblia diz: “Pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai”.

Não existe outro nome mencionado na Bíblia a qual podemos adorar, buscar e glorificar, a não ser o nome de Jesus, que sendo Deus se humilhou e tornou-se como homem e foi obediente até a morte, e Deus o ressuscitou para que hoje nós possamos adorá-Lo.

Jesus entrou na humanidade por meios legais, vamos dizer que Jesus entrou pela porta da frente, não como um ladrão que entrasse para roubar, Ele entrou com legalidade para nos resgatar do pecado.

A Bíblia diz: “Em verdade, em verdade vos digo: o que não entra pela porta no aprisco das ovelhas, mas sobe por outra parte, esse é ladrão e salteador. Aquele, porém, que entra pela porta, esse é o pastor das ovelhas. Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo; entrará, e sairá, e achará pastagem. O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância(João 10.1-2; 9-10).

O nascimento de Jesus se fez necessário para que Ele se dispusesse de toda a autoridade que Deus deu aos homens lá no Jardim do Éden. Jesus ainda sendo homem não pecou e sendo assim não perdeu a autoridade sobre a Terra que aos homens fora dada por Deus.

O nascimento de Jesus foi o momento significativo para a obra de Deus na Terra, evento este aguardado por toda a humanidade deste de que Adão pecou e assim todos pecaram e estávam separados de Deus.

Podemos lembrar de toda a preparação que os profetas fizeram em todo o Antigo Testamento falando sobre o Messias, podemos lembrar de Maria e José e o anjo avisando como seria, podemos lembrar dos pastores sendo também visitados por milhares de anjos, podemos lembrar dos sábios que vieram de longe para confirmar que este era o bebê esperado, podemos lembrar sas palavras de Simeão e da profetiza Ana no Templo em Jerusalém, quando Jesus ao oitavo dia foi apresentado a Deus.

Podemos ver as providências tomadas por Deus para que os homens vissem claramente este acontecimento. Deus preparou um coral de anjos, Deus preparou sinais e maravilhas para testificar que Jesus é o Messias, que Jesus é o nosso Salvador e o nosso Senhor.

E não ficou só no Seu nascimento, mas em toda Sua vida e principalmente na Sua ressurreição:

A Bíblia diz: “E, novamente, ao introduzir o Primogênito no mundo, diz: E todos os anjos de Deus o adorem”. “Ora, a qual dos anjos jamais disse: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos por estrado dos teus pés? Não são todos eles (os anjos) espíritos ministradores, enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação?". “Por esta razão, importa que nos apeguemos, com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos. Se, pois, se tornou firme a palavra falada por meio de anjos, e toda transgressão ou desobediência recebeu justo castigo, como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação? A qual, tendo sido anunciada inicialmente pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram; dando Deus testemunho juntamente com eles, por sinais, prodígios e vários milagres e por distribuições do Espírito Santo, segundo a sua vontade”.

O texto bíblico diz: "Como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação?".

Precisamos comemorar o Natal que a Bíblia apresenta, vendo Jesus como o nosso Senhor e Salvador, que Seu nascimento foi providenciado por Deus para nos salvar.

Não haveria outro motivo senão este de resgatar a humanidade perdida, Deus tem um plano para nós, para a sua vida. Não podemos lembrar de Jesus só no Natal. Não podemos ficar só lembrando que Jesus nasceu e pronto. Temos que lembrar principalmente que Ele NASCEU, VIVEU, MORREU, RESSUSCITOU e VOLTARÁ.

A obra se completa na vinda de Jesus, Jesus voltará, não mais para nos salvar, mas sim, para julgar todas as nossas obras. A obra de Deus é completa. Só o nascimento não seria suficiente, ficar celebrando o nascimento não é suficiente para compreender o Plano de Deus que começa no nascimento, mas segue adiante, vai até a ressurreição e a esperada vinda de Jesus.

Ele já veio como Salvador, agora devemos esperar o Juiz, assim como se cumpriu a profecia de que um menino nasceria, o príncipe da paz, assim também as profecias do Dia do Julgamento também se cumprirá. Você está preparado para isso?

Quando Jesus nasceu muitos não estavam preparados, muitos não creram e nem O receberam, mas Deus nos chama novamente a atenção para a profecia da vinda de Jesus que também vai se cumprir.

A Bíblia diz: “Vi o céu aberto, e eis um cavalo branco. O seu cavaleiro se chama Fiel e Verdadeiro e julga e peleja com justiça. Os seus olhos são chama de fogo; na sua cabeça, há muitos diademas; tem um nome escrito que ninguém conhece, senão ele mesmo. Está vestido com um manto tinto de sangue, e o seu nome se chama o Verbo de Deus; e seguiam-no os exércitos que há no céu, montando cavalos brancos, com vestiduras de linho finíssimo, branco e puro. Sai da sua boca uma espada afiada, para com ela ferir as nações; e ele mesmo as regerá com cetro de ferro e, pessoalmente, pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus Todo-Poderoso. Tem no seu manto e na sua coxa um nome inscrito: REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES(Apocalipse 19.11-16).

É este Jesus que agora esperamos.

A Bíblia diz: (Apocalipse 22.20) "Aquele que dá testemunho destas coisas diz: Certamente, venho sem demora. Amém! Vem, Senhor Jesus!".

Se esta mensagem tocou em seu coração e você quer conhecer mais acerca de Deus, de Jesus, do Espírito Santo e da Igreja, entre em contato conosco. Fale de sua de decisão, e faça seu pedido de oração: {Clique aqui}


Reflexão anterior - Próxima reflexão -

Outras reflexões


Dê a sua Opinião sobre esta reflexão - Imprima esta reflexão