• aguavivabocaina@gmail.com
  • +55 14 98183-8530

Bíblia Cronológica – Versões | Dia 046

46º Dia – 15 de Fevereiro

O POVO DE ISRAEL NO DESERTO DO SINAI

CENÁRIO HISTÓRICO: Instruções Diversas (Aproximadamente 1.461 a.C.)CURIOSIDADES

  • Miriã com 95 anos (Irmã de Moisés)
  • Arão com 85 anos (Irmão de Moisés)
  • Moisés com 82 anos
  • Gérson com 40 anos (Filho de Moisés)
  • Calebe com 40 anos
  • Eliézer com 37 anos (Filho de Moisés)
  • Eleazar com 31 anos (Filho de Arão)
  • Itamar com 28 anos (Filho de Arão)
  • Josué com 21 anos
  • Finéias com 6 anos (Filho de Eleazar e Neto de Arão)

DESERTO DO SINAI

Leis acerca da Lepra

(Lv 13.1-8) 1O Senhor Yahweh disse a Moisés e a Arão: 2“Se alguém tiver um inchaço, uma erupção ou uma descoloração que possa ser sinal de lepra, essa pessoa será levada ao Sacerdote Arão ou a um de seus filhos. 3O Sacerdote examinará a região afetada da pele. Se houver ali pelos que ficaram brancos e parecer que o problema é mais profundo que a pele, é lepra, e o Sacerdote que examinar a pessoa a declarará cerimonialmente impura. 4Se, contudo, a região afetada da pele apresentar apenas uma descoloração branca e a mancha não for mais profunda que a pele, e se os pelos da região não se tornaram brancos, o Sacerdote isolará a pessoa por sete dias. 5No sétimo dia, ele a examinará novamente. Se constatar que a região afetada não mudou e o problema não se espalhou pela pele, isolará a pessoa por mais sete dias. 6No sétimo dia, voltará a examiná-la. Se constatar que a área afetada diminuiu e não se espalhou, o Sacerdote declarará a pessoa cerimonialmente pura; era apenas uma erupção. A pessoa lavará suas roupas e ficará pura (NVT). 7Mas, se depois que se apresentou ao Sacerdote para ser declarada pura a erupção se espalhar pela pele, ela terá que se apresentar novamente ao Sacerdote (NVI). 8Se o Sacerdote constatar que a erupção se espalhou, declarará a pessoa cerimonialmente impura, pois é, de fato, lepra” (NVT).

(Lv 13.9-13) 9“Quando alguém tiver uma doença contagiosa da pele, deve ser levado ao Sacerdote (NTLH)10Se o Sacerdote encontrar um inchaço branco na pele, se alguns pelos sobre a mancha tiverem ficado brancos e se houver uma ferida aberta na região afetada, 11é um caso crônico de lepra, e o Sacerdote declarará a pessoa cerimonialmente impura. Nesses casos, não será necessário isolar a pessoa para avaliá-la, pois é evidente que a pele está contaminada pela doença. 12Se a lepra se espalhar por toda a pele da pessoa e cobrir seu corpo da cabeça aos pés, o Sacerdote examinará a pessoa infectada. 13Se constatar que a doença cobre todo o corpo, declarará a pessoa cerimonialmente pura. Uma vez que a pele se tornou completamente branca, a pessoa está pura” (NVT).

(Lv 13.14-17) 14Mas, se aparecerem feridas abertas, a pessoa infectada será declarada cerimonialmente impura. 15O Sacerdote fará essa declaração assim que vir uma ferida aberta, pois esse tipo de ferida indica a presença de lepra. 16Se, contudo, as feridas sararem e se tornarem brancas como o resto da pele, a pessoa voltará ao Sacerdote 17para ser examinada. Se as regiões afetadas tiverem, de fato, se tornado brancas, o Sacerdote declarará a pessoa cerimonialmente pura, e assim ela estará” (NVT).

(Lv 13.18-23) 18Se alguém tiver um furúnculo que sarou, 19e ali aparecer um lugar inchado e branco ou uma mancha avermelhada, a pessoa se apresentará ao Sacerdote. 20Ele a examinará e, se parecer que a ferida ficou mais funda do que a pele, e os pelos do lugar se tornaram brancos, então ele declarará que a pessoa está impura. É um caso de doença contagiosa que começou no furúnculo. 21Mas, se o Sacerdote descobrir que os pelos não estão brancos e que a ferida não está mais funda do que a pele, mas já se tornou branca, então ele mandará a pessoa ficar no isolamento sete dias (NTLH)22Se, nesse período, a mancha ou o inchaço se espalharem na pele, o Sacerdote declarará a pessoa cerimonialmente impura, pois é sinal de lepra. 23Se, contudo, a região afetada não aumentar nem se espalhar, é apenas a cicatriz da ferida, e o Sacerdote declarará a pessoa cerimonialmente pura” (NVT).

(Lv 13.24-28) 24“Se alguém sofrer uma queimadura na pele e aparecerem na região feridas abertas de cor branca avermelhada ou completamente branca, 25o Sacerdote a examinará. Se constatar que os pelos na região afetada ficaram brancos, e se parecer que a mancha é mais profunda que a pele, surgiu lepra na queimadura. O Sacerdote declarará a pessoa cerimonialmente impura, pois, sem dúvida, é lepra. 26Mas, se não encontrar pelos brancos na região afetada, e se parecer que a ferida não é mais profunda que a pele e tiver diminuído, o Sacerdote isolará a pessoa por sete dias. 27No sétimo dia, examinará a pessoa novamente. Se o problema tiver se espalhado na pele, o Sacerdote declarará a pessoa cerimonialmente impura, pois, sem dúvida, é lepra. 28Se, contudo, a região afetada não tiver mudado ou se o problema não tiver se espalhado na pele, mas tiver diminuído, é apenas o inchaço da queimadura. O Sacerdote declarará a pessoa cerimonialmente pura, pois é apenas a cicatriz da queimadura” (NVT).

(Lv 13.29-37) 29“Se um homem ou uma mulher tiver uma ferida na cabeça ou no queixo, 30o Sacerdote a examinará. Se constatar que a mancha é mais profunda que a pele e tem pelos amarelados e finos, o Sacerdote declarará a pessoa cerimonialmente impura. É uma ferida causada por sarna na cabeça ou no queixo. 31Se o Sacerdote examinar a ferida e constatar que não é mais profunda que a pele, mas não tem pelos escuros, isolará a pessoa por sete dias. 32No sétimo dia, o Sacerdote examinará a ferida novamente. Se constatar que ela não se espalhou, que não há pelos amarelados e que não parece mais profunda que a pele, 33a pessoa raspará todos os pelos, exceto na região afetada. Em seguida, o Sacerdote isolará a pessoa infectada por mais sete dias. 34No sétimo dia, examinará a ferida novamente. Se ela não tiver se espalhado, e se não parecer mais profunda que a pele, o Sacerdote declarará a pessoa cerimonialmente pura. A pessoa lavará suas roupas e ficará pura. 35Mas, se a ferida de sarna começar a se espalhar depois de a pessoa ter sido declarada cerimonialmente pura, 36o Sacerdote a examinará novamente. Se constatar que a ferida se espalhou, não é necessário procurar pelos amarelados; a pessoa infectada está cerimonialmente impura. 37Se, contudo, a cor da ferida de sarna não mudar e pelos pretos voltarem a crescer na região afetada, a sarna está curada, e o Sacerdote declarará a pessoa cerimonialmente pura” (NVT).

(Lv 13.38-39) 38“Se um homem ou uma mulher tiver manchas brancas na pele, 39o Sacerdote examinará a região afetada. Se constatar que as manchas brancas são opacas, é uma simples erupção de pele, e a pessoa está cerimonialmente pura” (NVT).

(Lv 13.40-44) 40“Se os cabelos de um homem caírem e ele ficar calvo, continua cerimonialmente puro. 41Se caírem os cabelos da parte da frente da cabeça, ele simplesmente ficou calvo na frente e continua puro. 42Mas, se uma ferida branca avermelhada aparecer na região calva no alto ou na parte de trás da cabeça, é lepra. 43O Sacerdote o examinará e, se constatar que há inchaço ao redor da ferida branca avermelhada em qualquer parte da calva do homem com aparência de lepra, 44o homem está, de fato, infectado com lepra e está impuro. O Sacerdote o declarará cerimonialmente impuro por causa da ferida na cabeça (NVT).

(Lv 13.45-46) 45“Quem ficar leproso, apresentando quaisquer desses sintomas, usará roupas rasgadas, andará descabelado, cobrirá a parte inferior do rosto e gritará: ‘Impuro! Impuro!’ (NVI) 46Enquanto durar a lepra, ficará cerimonialmente impuro e viverá isolado, fora do acampamento (NVT).

A Purificação da Lepra

(Lv 14.1-7) 1O Senhor Yahweh disse a Moisés: 2“Estas são as instruções a respeito da purificação da pessoa com lepra. Ela deverá comparecer perante o Sacerdote, 3que a levará para fora do acampamento e examinará a infecção. Se o Sacerdote constatar que a lepra foi curada, 4realizará uma cerimônia de purificação usando duas aves vivas cerimonialmente puras, um pedaço de madeira de cedro, um pano vermelho e um ramo de hissopo (NVT). 5Então o Sacerdote ordenará que uma das aves seja morta numa vasilha de barro com água da fonte. 6Então pegará a ave viva e a molhará, juntamente com o pedaço de madeira de cedro, com o pano vermelho e com o ramo de hissopo, no sangue da ave morta em água corrente (NVI). 7Depois disso, o Sacerdote aspergirá sete vezes o sangue da ave morta sobre a pessoa que está sendo purificada da lepra. Quando o Sacerdote tiver purificado a pessoa, soltará a ave viva em campo aberto” (NVT).

(Lv 14.8-9) 8“A pessoa que está sendo purificada lavará suas roupas, raspará todos os pelos e se banhará com água. Estará cerimonialmente pura e poderá voltar ao acampamento. Contudo, ficará fora de sua tenda por sete dias. 9No sétimo dia, raspará novamente todos os pelos, cabelos, pelos faciais e sobrancelhas. Lavará também suas roupas e se banhará com água. Desse modo, estará cerimonialmente pura” (NVT).

(Lv 14.10-13) 10“No oitavo dia, a pessoa que está sendo purificada trará dois cordeiros sem defeito e uma cordeira de um ano e sem defeito, junto com uma oferta de cereal de seis litros de farinha da melhor qualidade umedecida com azeite e uma caneca de azeite. 11O Sacerdote encarregado da cerimônia apresentará a pessoa a ser purificada, junto com as ofertas, diante do Senhor Yahweh , à entrada da Tenda do Encontro (NVT). 12Pegará um dos cordeiros e o oferecerá por oferta pela culpa juntamente com a caneca de azeite; e os moverá por oferta movida diante do Senhor Yahweh (NAA). 13Em seguida, matará o cordeiro no lugar sagrado onde são mortos os animais para as ofertas pelo pecado e para os holocaustos. Assim como a oferta pelo pecado, a oferta pela culpa pertence ao Sacerdote. É uma oferta santíssima” (NVT).

(Lv 14.14-18) 14“Depois disso, o Sacerdote pegará um pouco do sangue da oferta pela culpa e o colocará na ponta da orelha direita, no polegar da mão direita e no polegar do pé direito da pessoa que está sendo purificada. 15O Sacerdote também colocará um pouco do azeite na palma de sua mão esquerda. 16Molhará o dedo direito no azeite na palma da mão esquerda e com ele aspergirá sete vezes diante do Senhor Yahweh . 17Parte do azeite que está em sua mão ele colocará na ponta da orelha direita, no polegar da mão direita e no polegar do pé direito da pessoa que está sendo purificada, em cima do sangue da oferta pela culpa. 18O Sacerdote colocará o azeite restante em sua mão na cabeça da pessoa que está sendo purificada. Desse modo, o Sacerdote fará expiação pela pessoa diante do Senhor Yahweh (NVT).

(Lv 14.19-20) 19“Então o Sacerdote apresentará a oferta pelo pecado para fazer expiação pela pessoa que foi curada da lepra. Em seguida, o Sacerdote matará o animal para o holocausto 20e o apresentará sobre o altar junto com a oferta de cereal. Desse modo, o Sacerdote fará expiação pela pessoa que foi curada, e ela ficará cerimonialmente pura” (NVT).

(Lv 14.21-29) 21“Se for pobre, e as suas posses não lhe permitirem trazer tanto, pegará um cordeiro para oferta pela culpa como oferta movida, para fazer expiação por ele, e dois litros da melhor farinha, amassada com azeite, para oferta de cereais, um copo de azeite (NAA). 22A oferta incluirá ainda duas rolinhas ou dois pombinhos, de acordo com os recursos da pessoa. Uma das aves será usada para a oferta pelo pecado, e a outra, para o holocausto. 23No oitavo dia da cerimônia de purificação, a pessoa que está sendo purificada levará as ofertas ao Sacerdote na presença do Senhor Yahweh , à entrada da Tenda do Encontro (NVT). 24O Sacerdote pegará o cordeiro da oferta pela culpa e o copo de azeite e os moverá por oferta movida diante do Senhor Yahweh (NAA). 25Depois disso, o Sacerdote matará o cordeiro para a oferta pela culpa. Pegará um pouco do sangue e o colocará na ponta da orelha direita, no polegar da mão direita e no polegar do pé direito da pessoa que está sendo purificada. 26O Sacerdote também derramará um pouco do azeite na palma de sua mão esquerda. 27Molhará o dedo direito no azeite na palma de sua mão esquerda e com ele aspergirá sete vezes diante do Senhor Yahweh . 28Parte do azeite que está em sua mão ele colocará na ponta da orelha direita, no polegar da mão direita e no polegar do pé direito da pessoa que está sendo purificada, em cima do sangue da oferta pela culpa. 29O Sacerdote colocará o azeite restante em sua mão na cabeça da pessoa que está sendo purificada. Desse modo, o Sacerdote fará expiação pela pessoa diante do Senhor Yahweh (NVT).

(Lv 14.30-32) 30“Então o Sacerdote oferecerá as duas rolinhas ou os dois pombinhos, de acordo com os recursos da pessoa. 31Uma das aves é uma oferta pelo pecado, e a outra é um holocausto; serão apresentadas junto com a oferta de cereal. Desse modo, o Sacerdote fará expiação pela pessoa diante do Senhor Yahweh . 32Essas são as instruções para a purificação daqueles que se recuperaram da lepra, mas que não têm recursos para levar as ofertas requeridas para a cerimônia de purificação” (NVT).

Lei acerca do Mofo em Objetos

(Lv 13.47-59) 47“Quando aparecer mancha de mofo em alguma roupa, seja roupa de lã, seja de linho, 48ou em qualquer peça tecida ou entrelaçada de linho ou de lã, ou em algum pedaço ou objeto de couro, 49se a mancha na roupa, ou no pedaço de couro, ou na peça tecida ou entrelaçada, ou em qualquer objeto de couro, for esverdeada ou avermelhada, é mancha de mofo que deverá ser mostrada ao Sacerdote. 50O Sacerdote examinará a mancha e isolará o objeto afetado por sete dias (NVI). 51No sétimo dia, examinará o objeto novamente. Se a região afetada tiver se espalhado, a peça de roupa, o tecido liso ou trançado ou o artigo de couro foi, sem dúvida, contaminado por mofo corrosivo e está cerimonialmente impuro. 52O Sacerdote queimará a peça de roupa, o tecido de lã ou de linho ou o artigo de couro, pois foi contaminado por mofo corrosivo. Deve ser completamente destruído com fogo. 53Se, contudo, o Sacerdote examinar o objeto e constatar que a região contaminada não se espalhou pela peça de roupa, pelo tecido liso ou trançado, ou pelo artigo de couro, 54ordenará que o objeto seja lavado e, depois, isolado por mais sete dias. 55O Sacerdote examinará novamente o objeto depois de lavado. Se constatar que a região contaminada não mudou de cor depois de ser lavada, mesmo que a mancha não tenha se espalhado, o objeto está contaminado. Deve ser completamente queimado, quer o mofo esteja do lado de dentro ou de fora. 56Mas, se o Sacerdote examinar o objeto e constatar que a região contaminada diminuiu depois de ser lavada, cortará a mancha da peça de roupa, do tecido liso ou trançado, ou do couro. 57Se a mancha reaparecer na peça de roupa, no tecido liso ou trançado, ou no artigo de couro, é evidente que o mofo está se espalhando, e o objeto contaminado deverá ser queimado. 58Se, contudo, a mancha desaparecer da peça de roupa, do tecido, ou do artigo de couro depois de ter sido lavado, o objeto será lavado novamente e, por fim, estará cerimonialmente puro. 59Essas são as instruções referentes ao mofo que contamina roupas de lã ou linho, tecidos lisos ou trançados ou qualquer objeto de couro. É dessa forma que o Sacerdote determinará se os objetos estão cerimonialmente puros ou impuros” (NVT).

Lei acerca do Mofo em uma Casa

(Lv 14.33-45) 33Então o Senhor Yahweh disse a Moisés e a Arão: 34“Quando chegarem a Canaã, a terra que eu lhes dou como propriedade, e eu contaminar com manchas de mofo algumas das casas de sua terra, 35o dono de uma dessas casas irá ao Sacerdote e dirá: ‘Minha casa parece ter manchas de mofo’. 36Antes de entrar para examinar a casa, o Sacerdote mandará esvaziá-la, a fim de que nada dentro dela seja declarado cerimonialmente impuro. Em seguida, entrará na casa 37e examinará o mofo nas paredes. Se encontrar manchas esverdeadas ou avermelhadas e a contaminação parecer mais profunda que a superfície da parede (NVT), 38então o Sacerdote sairá da casa e a deixará fechada sete dias (NTLH)39No sétimo dia, o Sacerdote voltará para examiná-la. Se constatar que as manchas se espalharam nas paredes, 40o Sacerdote ordenará que as pedras das áreas afetadas sejam removidas e levadas para fora da cidade, até um lugar cerimonialmente impuro. 41Depois disso, as paredes internas da casa serão inteiramente raspadas, e o material raspado será jogado num lugar impuro fora da cidade. 42Outras pedras serão trazidas para substituir as que foram removidas, e as paredes serão rebocadas com barro novo. 43Se, contudo, o mofo reaparecer depois de todas as pedras terem sido substituídas e de a casa ter sido raspada e rebocada de novo, 44o Sacerdote a examinará. Se as manchas se tiverem espalhado pelas paredes, é mofo contagioso, e a casa está impura. 45Será demolida e suas pedras, madeiras e todo o seu reboco serão levados para fora da cidade, até um lugar cerimonialmente impuro” (NVT).

(Lv 14.46-48) 46“Quem entrar na casa durante o período de isolamento ficará cerimonialmente impuro até o entardecer (NVT). 47Aquele que dormir ou comer na casa terá que lavar as suas roupas (NVI). 48Se, contudo, o Sacerdote voltar para examinar a casa e constatar que as manchas de mofo não reapareceram depois de colocado o reboco novo, ele a declarará pura, pois é evidente que o mofo desapareceu” (NVT).

(Lv 14.49-53) 49“A fim de purificar a casa, o Sacerdote pegará duas aves, um pedaço de madeira de cedro, um pano vermelho e um ramo de hissopo (NVT). 50Depois matará uma das aves numa vasilha de barro com água da fonte. 51Então pegará o pedaço de madeira de cedro, o hissopo, o pano vermelho e a ave viva, e os molhará no sangue da ave morta e na água da fonte, e aspergirá a casa sete vezes. 52Ele purificará a casa com o sangue da ave, com a água da fonte, com a ave viva, com o pedaço de madeira de cedro, com o hissopo e com o pano vermelho (NVI). 53Então soltará a ave que ficou viva para fora da cidade, para o campo aberto; assim, fará expiação pela casa, e ficará pura” (NAA).

(Lv 14.54-57) 54“Essas são as instruções para lidar com a lepra, incluindo feridas de sarna, 55com manchas de mofo sobre peças de roupa ou numa casa, 56e com inchaços, erupções ou descolorações da pele. 57Esse procedimento determinará se a pessoa ou objeto está cerimonialmente puro ou impuro” (NVT).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você não pode copiar o conteúdo desta página.