• aguavivabocaina@gmail.com
  • +55 14 98183-8530

Bíblia Cronológica – Versões | Dia 266

266º Dia – 23 de Setembro

POVO DE JUDÁ E O IMPÉRIO PERSA

CIDADELA DE SUSÃMardoqueu impede uma Conspiração contra o rei Assuero

(Et 2.19-20) 19Mais tarde, quando o rei exigiu a presença do segundo grupo de moças bonitas, Mordecai (Mardoqueu) já era oficial do governo (BV). 20Ester havia mantido segredo sobre seu povo e sobre a origem de sua família, conforme a ordem de Mardoqueu, pois continuava a seguir as instruções de Mardoqueu, como fazia quando ainda estava sob sua tutela (NVI).

(Et 2.21-23) 21Certo dia, quando Mardoqueu estava de serviço junto à porta do palácio real, dois eunucos do rei, Bigtã e Teres, guardas da porta dos aposentos do rei, se indignaram com Assuero e conspiraram para matá-lo (NVT). 22Mardoqueu, porém, descobriu o plano e contou-o à rainha Ester, que, por sua vez, passou a informação ao rei, em nome de Mardoqueu (NVI). 23Investigou-se o caso, e era fato; e os dois conspiradores foram pendurados numa forca. Isso foi escrito no Livro das Crônicas, diante do rei (NAA).

A Elevada Posição de Hamã

(Et 3.1-4) 1Depois desses acontecimentos, o rei Xerxes (Assuero) honrou a Hamã, filho de Hamedata, descendente de Agague, promovendo-o e dando-lhe uma posição mais elevada do que a de todos os demais nobres. 2Todos os oficiais do palácio real curvavam-se e prostravam-se diante de Hamã, conforme as ordens do rei. Mardoqueu, porém, não se curvava nem se prostrava diante dele. 3Então os oficiais do palácio real perguntaram a Mardoqueu: “Por que você desobedece à ordem do rei?” (NVI) 4Todos os dias lhe diziam isso, mas, ainda assim, ele não dava ouvidos. Então contaram tudo a Hamã, para ver se ele iria tolerar a conduta de Mardoqueu, pois Mardoqueu lhes tinha dito que era judeu (NVT).

Conspiração de Hamã contra Mardoqueu e os Judeus

(Et 3.5-6) 5Quando Hamã viu que Mardoqueu não se curvava nem se prostrava, ficou muito irado. 6Contudo, sabendo quem era o povo de Mardoqueu, achou que não bastava matá-lo. Em vez disso, Hamã procurou uma forma de exterminar todos os judeus, o povo de Mardoqueu, em todo o império de Xerxes (Assuero) (NVI).

(Et 3.7) 7No primeiro mês do décimo segundo ano do reinado do rei Xerxes (Assuero), no mês de nisã, lançaram o pur, isto é a sorte, na presença de Hamã para escolher um dia e um mês para executar o plano, e foi sorteado o décimo segundo mês, o mês de adar (NVI).

Carta contra os Judeus

(Ed 4.6) 6Anos depois, quando Xerxes (Assuero) começou a reinar, os inimigos de Judá escreveram uma carta de acusação contra o povo de Judá e de Jerusalém (NVT).

A Trama de Hamã começa a ser Articulada

(Et 3.8-11) 8Então Hamã disse ao rei Xerxes (Assuero): “Existe certo povo disperso e espalhado entre os povos de todas as províncias de teu império, cujos costumes são diferentes dos de todos os outros povos e que não obedecem às leis do rei; não convém ao rei tolerá-los. 9Se for do agrado do rei, que se decrete a destruição deles; e colocarei trezentas e cinquenta toneladas de prata na tesouraria real à disposição para que se execute esse trabalho” (NVI). 10O rei concordou e, para confirmar sua decisão, tirou do dedo o anel com o selo real e o entregou a Hamã, filho de Hamedata, o agagita, inimigo dos judeus. 11O rei disse: “A prata e o povo são seus; faça com eles o que lhe parecer melhor” (NVT).

Hamã articula o Decreto de Extermínio de Todos os Judeus

(Et 3.12-15) 12No dia treze do primeiro mês, chamaram os secretários do rei e, segundo tudo o que Hamã havia ordenado, se escreveu aos sátrapas do rei, aos governadores de todas as províncias e aos chefes de cada povo. A ordem devia ser endereçada a cada província no seu próprio modo de escrever e a cada povo na sua própria língua. Foi escrita em nome do rei Assuero e selada com o anel-sinete do rei. 13As cartas foram enviadas por meio de mensageiros a todas as províncias do rei, com instruções para que num só dia, o dia treze do décimo segundo mês, que é o mês de adar, todos os judeus, tanto os jovens como os velhos, as mulheres e as crianças, fossem destruídos, mortos e aniquilados, e que os seus bens fossem saqueados. 14Uma cópia da carta, que determinava a proclamação da lei em todas as províncias, foi enviada a todos os povos, para que se preparassem para aquele dia. 15Os mensageiros, impelidos pela ordem do rei, partiram imediatamente. E a lei foi proclamada na cidadela de Susã. O rei Assuero e Hamã se assentaram para beber, mas a cidade de Susã estava perplexa (NAA).

A Notícia do Extermínio chega aos Judeus

(Et 4.1-3) 1Quando Mardoqueu soube de tudo o que tinha acontecido, rasgou as vestes, vestiu-se de pano de saco e cinza, e saiu pela cidade, chorando amargamente em alta voz. 2Foi até a porta do palácio real, mas não entrou, porque ninguém vestido de pano de saco tinha permissão de entrar (NVI). 3Em todas as províncias aonde chegava a palavra do rei e a sua lei, havia entre os judeus grande luto, com jejum, choro e lamentação; e muitos se deitavam em pano de saco e em cinza (NAA).

(Et 4.4-7) 4Quando as criadas de Ester e os oficiais responsáveis pelo harém lhe contaram sobre Mardoqueu, ela ficou muito aflita e mandou-lhe roupas para que ele as vestisse e tirasse o pano de saco; mas ele não quis aceitá-las. 5Então Ester convocou Hataque, um dos oficiais do rei, nomeado para ajudá-la, e deu-lhe ordens para descobrir o que estava perturbando Mardoqueu e porque ele estava agindo assim (NVI). 6Hataque foi até a praça da cidade para encontrar-se com Mordecai (Mardoqueu) junto à porta do rei (NAA). 7Mardoqueu lhe contou tudo e lhe informou a quantidade exata de prata que Hamã havia prometido pagar ao tesouro real pela destruição dos judeus (NVT).

(Et 4.8) 8Mardoqueu entregou a Hataque uma cópia do decreto publicado em Susã que ordenava o extermínio de todos os judeus. Pediu a Hataque que mostrasse o decreto a Ester e lhe explicasse a situação. Também pediu a Hataque que a orientasse a ir falar com o rei para implorar por misericórdia e interceder em favor de seu povo (NVT).

(Et 4.9-11) 9Hataque retornou e relatou a Ester tudo o que Mardoqueu tinha dito (NVI). 10Então Ester falou com Hataque e mandou que ele entregasse a seguinte mensagem a Mordecai (Mardoqueu) (NAA): 11“Todos os oficiais do rei e o povo das províncias do império sabem que existe somente uma lei para qualquer homem ou mulher que se aproxime do rei no pátio interno sem por ele ser chamado: será morto, a não ser que o rei estenda o cetro de ouro para a pessoa e lhe poupe a vida. E eu não sou chamada à presença do rei há mais de trinta dias” (NVI).

(Et 4.12-14) 12E o recado de Ester foi transmitido a Mardoqueu (NVT). 13Então Mordecai (Mardoqueu) pediu que respondessem a Ester: “Não pense que, por estar no palácio real, você será a única, entre todos os judeus, que conseguirá escapar (NAA), 14pois, se você ficar calada nesta hora, socorro e livramento surgirão de outra parte para os judeus, mas você e a família de seu pai morrerão. Quem sabe se não foi para um momento como este que você chegou à posição de rainha?” (NVI)

A rainha Ester se Compromete a Interceder pelo seu Povo

(Et 4.15-17) 15Então Ester enviou esta resposta a Mardoqueu (NVT): 16Vá e reúna todos os judeus que estiverem em Susã, e jejuem por mim. Não comam nem bebam nada durante três dias, nem de noite nem de dia. Eu e as minhas servas também jejuaremos. Depois, irei falar com o rei, ainda que seja contra a lei; se eu tiver de morrer, morrerei” (NAA). 17Mardoqueu retirou-se e cumpriu todas as instruções de Ester (NVI).

CIDADELA DE SUSÃA Rainha Ester entra na Presença do Rei

(Et 5.1-5) 1No terceiro dia do jejum, Ester vestiu seus trajes reais e entrou no pátio interno do palácio, em frente do salão do rei. O rei estava sentado no trono, voltado para a entrada (NVT). 2Quando o rei viu a rainha Ester parada no pátio, ela alcançou favor diante dele, e o rei estendeu-lhe o cetro de ouro que tinha na mão. Ester se aproximou e tocou na ponta do cetro (NAA). 3“O que você deseja, rainha Ester?”, perguntou o rei. “Qual é seu pedido? Eu atenderei, mesmo que peça metade do reino!” 4Ester respondeu: “Se lhe parecer bem, venha hoje com Hamã a um banquete que preparei para o rei”. 5O rei se voltou para seus servos e disse: “Digam a Hamã que venha depressa para um banquete, como Ester pediu”. Então o rei e Hamã foram ao banquete que Ester havia preparado (NVT).

(Et 5.6-8) 6Enquanto bebiam vinho, o rei disse a Ester: “Agora diga-me o que você deseja. Qual é seu pedido? Eu atenderei, mesmo que peça metade do reino!” (NVT) 7Ester respondeu: “Meu pedido e o meu desejo são o seguinte (NAA): 8Se conto com o favor do rei e se lhe parecer bem atender a meu pedido, venha amanhã com Hamã ao banquete que lhes prepararei. Então explicarei do que se trata” (NVT).

Hamã prepara uma forca exclusiva para Mardoqueu

(Et 5.9-10) 9Hamã saiu do banquete muito feliz e animado. Contudo, ficou furioso quando viu que Mardoqueu, sentado à porta do palácio, não se levantou nem demonstrou nervosismo em sua presença (NVT). 10Porém Hamã se conteve e foi para casa. Depois mandou vir os seus amigos e Zeres, sua mulher (NAA).

(Et 5.11-14) 11Hamã falou sobre a glória das suas riquezas, a multidão de seus filhos, tudo em que o rei o tinha engrandecido e como o tinha exaltado sobre os oficiais e servos do rei. 12E Hamã acrescentou: “A própria rainha Ester a ninguém mais convidou para vir com o rei ao banquete que tinha preparado, a não ser a mim. E também para amanhã estou convidado por ela, juntamente com o rei (NAA). 13Mas tudo isso não me dará satisfação, enquanto eu vir aquele judeu Mardoqueu sentado junto à porta do palácio real”. 14Então Zeres, sua mulher, e todos os seus amigos lhe sugeriram: “Mande fazer uma forca, de mais de vinte metros de altura, e logo pela manhã peça ao rei que Mardoqueu seja enforcado nela. Assim você poderá acompanhar o rei ao jantar e alegrar-se”. A sugestão agradou Hamã, e ele mandou fazer a forca (NVI).

A insônia do rei Assuero

(Et 6.1-3) 1Naquela noite o rei não conseguiu dormir; por isso ordenou que trouxessem o livro das crônicas do seu reinado, e que o lessem para ele. 2E foi lido o registro de que Mardoqueu tinha denunciado Bigtã e Teres, dois dos oficiais do rei que guardavam a entrada do Palácio, que haviam conspirado para assassinar o rei Xerxes (Assuero) (NVI). 3Então o rei perguntou: “Que honras e distinções foram conferidas a Mordecai (Mardoqueu) por ter feito isso? Os servos do rei que o serviam responderam: “Ele não recebeu nenhuma recompensa!” (NAA)

Pela Manhã Mardoqueu é honrado

(Et 6.4-5) 4O rei perguntou: “Quem está no pátio?” Ora, Hamã tinha entrado no pátio exterior do palácio real, para pedir ao rei que Mordecai (Mardoqueu) fosse pendurado na forca que ele, Hamã, lhe havia preparado. 5Os servos do rei lhe disseram: “Hamã está no pátio”. Então o rei mandou que ele entrasse (NAA).

(Et 6.6-9) 6Hamã entrou. E o rei lhe perguntou: “O que você acha que deveria ser feito ao homem a quem o rei deseja honrar?” Então Hamã pensou assim: “A quem mais o rei poderia querer honrar a não ser a mim?” 7Por isso ele respondeu ao rei: “Quanto ao homem a quem o rei gostaria de honrar (NAA), 8mande trazer um dos mantos que o rei costuma usar, e um cavalo no qual o rei costuma montar, e que tenha o emblema real na cabeça (NVT). 9Que os trajes e o cavalo sejam entregues a um dos mais nobres oficiais do rei, para que se encarregue de vestir aquele a quem o rei deseja honrar. Depois, que o leve a cavalo pela praça da cidade, proclamando em voz alta: ‘É isto que se faz ao homem a quem o rei deseja honrar’” (NAA).

(Et 6.10-11) 10Então o rei disse a Hamã: “Vá depressa, pegue os trajes e o cavalo, e faça com o judeu Mordecai (Mardoqueu) tudo o que você falou. Ele está sentado junto à porta do rei. E não omita coisa nenhuma de tudo o que você falou”. 11Então Hamã pegou o manto e o cavalo do rei, vestiu Mardoqueu com o manto e o conduziu sobre o cavalo pela praça da cidade, proclamando em alta voz: “Assim o rei faz a quem ele deseja honrar!” (NVT)

(Et 6.12-13) 12Depois disso, Mardoqueu voltou para a porta do palácio, mas Hamã correu para casa, abatido e humilhado. 13Quando Hamã contou a Zeres, sua esposa, e a todos os seus amigos o que havia acontecido, seus conselheiros e sua esposa disseram: “Visto que Mardoqueu, diante de quem você foi humilhado, é judeu de nascimento, seus planos contra ele jamais serão bem-sucedidos. Você ficará arruinado se continuar a se opor a ele” (NVT).

(Et 6.14) 14E, enquanto ainda conversavam, chegaram os oficiais do rei e, às pressas, levaram Hamã para o banquete que Ester havia preparado (NVI).

A rainha Ester denuncia os Planos de Hamã

(Et 7.1-6) 1Então o rei e Hamã foram ao banquete com a rainha Ester, 2e, enquanto estavam bebendo vinho no segundo dia, o rei perguntou de novo: “Rainha Ester, qual é o seu pedido? Você será atendida. Qual o seu desejo? Mesmo que seja a metade do reino, isso lhe será concedido”. 3Então a rainha Ester respondeu: “Se posso contar com o favor do rei, e se isto lhe agrada, poupe a minha vida e a vida do meu povo; este é o meu pedido e o meu desejo (NVI). 4Pois eu e meu povo fomos vendidos para sermos destruídos, mortos e aniquilados. Se fosse apenas o caso de termos sido vendidos como escravos, eu teria permanecido calada, pois não teria cabimento perturbar o rei com um assunto de tão pouca importância”. 5“Quem faria uma coisa dessas?”, perguntou o rei Xerxes (Assuero). “Onde está o homem que teria a audácia de fazer isso?” 6Ester respondeu: “Nosso inimigo e adversário é Hamã, este homem perverso”. Hamã ficou apavorado diante do rei e da rainha (NVT).

(Et 7.7-10) 7Furioso, o rei levantou-se, deixou o vinho, saiu dali e foi para o jardim do palácio. E percebendo Hamã que o rei já tinha decidido condená-lo, ficou ali para implorar por sua vida à rainha Ester (NVI). 8E voltando o rei do jardim do palácio ao salão do banquete, viu Hamã caído sobre o assento onde Ester estava reclinada. E então exclamou: “Chegaria ele ao cúmulo de violentar a rainha na minha presença e em minha própria casa?” Mal o rei terminou de dizer isso, alguns oficiais cobriram o rosto de Hamã. 9E um deles, chamado Harbona, que estava a serviço do rei, disse: “Há uma forca de mais de vinte metros de altura junto à casa de Hamã, que ele fez para Mardoqueu, que intercedeu pela vida do rei”. Então o rei ordenou: “Enforquem-no nela!” (NVI) 10E assim enforcaram Hamã na forca que ele tinha preparado para Mordecai (Mardoqueu). Então o furor do rei se aplacou (NAA).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você não pode copiar o conteúdo desta página.