• aguavivabocaina@gmail.com
  • +55 14 98183-8530

Bíblia Cronológica – Versões | Dia 290

290º Dia – 17 de Outubro

O NOVO TESTAMENTO

REGIÃO DA GALILÉIAA Explicação da Parábola do Semeador

(Lc 8.9) 9Seus discípulos lhe perguntaram o que a parábola significava (NVT).

(Mc 4.13) 13Então Jesus disse: “Se vocês não entendem o significado desta parábola, como entenderão as demais?” (NVT)

(Mt 13.18) 18Ouçam, portanto, o que significa a parábola do semeador” (NAA).

(Lc 8.11) 11“Este é o significado da parábola: ‘As sementes são a palavra de Deus’” (NVT).

(Mc 4.14-15) 14O semeador semeia a palavra (NVI). 15Algumas pessoas são como a semente à beira do caminho, onde a palavra é semeada. Logo que a ouvem, Satanás vem e retira a palavra nelas semeada” (NVI).

(Mt 13.19) 19As sementes que caíram à beira do caminho representam os que ouvem a mensagem sobre o Reino e não a entendem. Então o Maligno vem e arranca a semente que foi lançada em seu coração” (NVT).

(Lc 8.12) 12As sementes que caíram à beira do caminho representam os que ouvem a mensagem, mas o Diabo vem e a arranca do coração deles e os impede de crer e ser salvos” (NVT).

(Mc 4.16-17) 16As que caíram no solo rochoso representam aqueles que ouvem a mensagem e, sem demora, a recebem com alegria. 17Contudo, uma vez que não têm raízes profundas, não duram muito. Assim que enfrentam problemas ou são perseguidos por causa da mensagem, cedo desanimam” (NVT).

(Mt 13.20-21) 20“O que foi semeado em solo rochoso, esse é o que ouve a palavra e logo a recebe com alegria. 21Mas ele não tem raiz em si mesmo, sendo de pouca duração. Quando chega a angústia ou a perseguição por causa da palavra, logo se escandaliza” (NAA).

(Lc 8.13) 13As sementes no solo rochoso representam os que ouvem a mensagem e a recebem com alegria. Uma vez, porém, que não têm raízes profundas, creem apenas por um tempo e depois desanimam quando enfrentam provações” (NVT).

(Mc 4.18-19) 18As que caíram entre os espinhos representam outros que ouvem a mensagem (NVT), 19mas quando chegam as preocupações desta vida, o engano das riquezas e os anseios por outras coisas, sufocam a palavra, tornando-a infrutífera” (NVI).

(Mt 13.22) 22As que caíram entre os espinhos representam outros que ouvem a mensagem, mas logo ela é sufocada pelas preocupações desta vida e pela sedução da riqueza, de modo que não produzem fruto” (NVT).

(Lc 8.14) 14As que caíram entre os espinhos representam outros que ouvem a mensagem, mas logo ela é sufocada pelas preocupações, riquezas e prazeres desta vida, de modo que nunca amadurecem” (NVT).

(Mt 13.23) 23E as que caíram em solo fértil representam os que ouvem e entendem a mensagem e produzem uma colheita trinta, sessenta e até cem vezes maior que a quantidade semeada” (NVT).

(Lc 8.15) 15E as que caíram em solo fértil representam os que, com coração bom e receptivo, ouvem a mensagem, a aceitam e, com paciência, produzem uma grande colheita” (NVT).

(Mc 4.20) 20Outras pessoas são como a semente lançada em boa terra: ‘Ouvem a palavra, aceitam-na e dão uma colheita de trinta, sessenta e até cem por um’” (NVI).

A Explicação da Parábola do Joio

(Mt 13.36-39) 36bE, aproximando-se dele os seus discípulos, disseram: “Explique-nos a parábola do joio do campo” (NAA). 37Jesus respondeu: “O Filho do Homem é o agricultor que planta as boas sementes (NVT). 38O campo é o mundo, e as boas sementes são o povo do Reino. O joio são as pessoas que pertencem ao Maligno (NVT). 39O inimigo que o semeou é o Diabo. A colheita é o fim dos tempos, e os ceifeiros são os anjos” (NAA).

(Mt 13.40-43) 40Pois, assim como o joio é colhido e jogado no fogo, assim será no fim dos tempos. 41O Filho do Homem mandará os seus anjos, que ajuntarão do seu Reino todos os que servem de pedra de tropeço e os que praticam o mal (NAA). 42Eles os lançarão na fornalha ardente, onde haverá choro e ranger de dentes (NVI). 43Então os justos resplandecerão como o sol, no Reino de seu Pai. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça” (NAA).

A Parábola do Tesouro Escondido

(Mt 13.44) 44O Reino dos Céus é semelhante a um tesouro escondido no campo, que um homem achou e escondeu. Então, transbordante de alegria, vai, vende tudo o que tem e compra aquele campo” (NAA).

A Parábola da Pérola de Grande Valor

(Mt 13.45-46) 45O Reino dos Céus também é como um negociante que procura pérolas preciosas (NVI), 46e, tendo achado uma pérola de grande valor, vende tudo o que possui e a compra” (ARA).

A Parábola da Rede de Pesca

(Mt 13.47-50) 47O Reino dos Céus é ainda semelhante a uma rede que foi lançada ao mar e apanhou peixes de toda espécie. 48E, quando já estava cheia, os pescadores a arrastaram para a praia e, assentados, escolheram os bons para os cestos e jogaram fora os ruins. 49Assim será no fim dos tempos: ‘Os anjos sairão, separarão os maus dentre os justos (NAA) 50e lançarão aqueles na fornalha ardente, onde haverá choro e ranger de dentes” (NVI).

Entendimento sobre as Parábolas

(Mt 13.51-52) 51Vocês entendem todas essas coisas?” “Sim”, responderam eles (NVT). 52Então ele acrescentou: “Todo mestre da Lei que se torna discípulo no Reino dos Céus é como o dono de uma casa que tira do seu tesouro verdades preciosas, tanto novas como velhas” (NVT).

CIDADE DE NAZARÉJesus é Rejeitado Novamente pelos Nazarenos

(Mt 13.53-54) 53Quando Jesus terminou de contar essas parábolas, deixou aquela região 54ae voltou para Nazaré, cidade onde tinha morado (NVT).

(Mc 6.1) 1Jesus saiu dali e foi para a sua cidade, acompanhado dos seus discípulos (NVI).

(Mc 6.2-3) 2No Shabat seguinte, começou a ensinar na sinagoga, e muitos dos que o ouviam se admiraram e perguntavam: “De onde vem tanta sabedoria e poder para realizar esses milagres? 3Não é esse o carpinteiro, filho de Maria e irmão de Tiago, José, Judas e Simão? Suas irmãs moram aqui, entre nós”. E sentiam-se muito ofendidos (NVT).

(Mt 13.54-56) 54bEnquanto ensinava na sinagoga, todos se admiravam e perguntavam: “De onde lhe vêm a sabedoria e o poder para realizar milagres? (NVT) 55Não é este o filho do carpinteiro? A sua mãe não se chama Maria, e seus irmãos não são Tiago, José, Simão e Judas? (NAA) 56Todas as suas irmãs moram aqui, entre nós. Onde ele aprendeu todas essas coisas?” (NVT)

(Mt 13.57-58) 57Por isso ficaram desiludidos com ele. Mas Jesus disse: “Um profeta é respeitado em toda parte, menos na sua terra e na sua casa” (NTLH). 58E não fez ali muitos milagres, por causa da incredulidade deles (NAA).

(Mc 6.4-6) 4Jesus, porém, lhes disse: “Nenhum profeta é desprezado, a não ser na sua terra, entre os seus parentes e na sua casa” (NAA). 5Por isso, não pôde realizar milagres ali, exceto pôr as mãos sobre alguns enfermos e curá-los. 6E ficou admirado com a incredulidade daquele povo. Então Jesus percorreu diversos povoados, ensinando a seus moradores (NVT).

REGIÃO DA GALILÉIAJesus Acalma a Tempestade

(Lc 8.22) 22Aconteceu que, num daqueles dias, Jesus entrou num barco em companhia dos seus discípulos e lhes disse: “Vamos passar para a outra margem do lago”. E partiram (NAA).

(Mt 8.18) 18Quando Jesus viu a grande multidão ao seu redor, ordenou que atravessassem para o outro lado do mar (NVT).

(Mc 4.35) 35Ao anoitecer, Jesus disse a seus discípulos: “Vamos atravessar para o outro lado do mar” (NVT).

(Mt 8.23) 23Entrando ele no barco, seus discípulos o seguiram (NVI).

(Mc 4.36) 36E eles, despedindo a multidão, o levaram assim como estava, no barco; e outros barcos o seguiam (NAA).

(Lc 8.23) 23Durante a travessia, Jesus caiu no sono. Logo, porém, veio sobre o mar uma forte tempestade. O barco começou a se encher de água, colocando-os em grande perigo (NVT).

(Mt 8.24) 24De repente, uma violenta tempestade abateu-se sobre o mar, de forma que as ondas inundavam o barco. Jesus, porém, dormia (NVI).

(Mc 4.37-38) 37Ora, levantou-se grande temporal de vento, e as ondas se arremessavam contra o barco, de modo que o mesmo já estava se enchendo de água (NAA). 38Jesus dormia na parte de trás do barco, com a cabeça numa almofada. Os discípulos o acordaram, clamando: “Mestre, vamos morrer! O senhor não se importa?” (NVT)

(Mt 8.25) 25Os discípulos foram acordá-lo, clamando: “Senhor, salva-nos! Vamos morrer!” (NVI)

(Lc 8.24) 24aOs discípulos foram acordá-lo, clamando: “Mestre, Mestre, vamos morrer!” (NVT)

(Mc 4.39) 39Ele se levantou, repreendeu o vento e disse ao mar: “Aquiete-se! Acalme-se!” O vento se aquietou, e fez-se completa bonança (NVI).

(Lc 8.24) 24bQuando Jesus despertou, repreendeu o vento e as ondas violentas. A tempestade parou, e tudo se acalmou (NVT).

(Mt 8.26) 26bE, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar; e tudo ficou bem calmo (NAA).

(Mc 4.40) 40Então perguntou aos seus discípulos: “Por que vocês estão com tanto medo? Ainda não têm fé?” (NVI)

(Mt 8.26) 26aEntão Jesus perguntou: “Por que vocês são tão medrosos, homens de pequena fé?” (NAA)

(Lc 8.25) 25Então ele lhes perguntou: “Onde está a sua fé?”. Admirados e temerosos, os discípulos diziam entre si: “Quem é este homem? Quando ele ordena, até os ventos e o mar lhe obedecem!” (NVT)

(Mt 8.27) 27Os homens ficaram perplexos e perguntaram: “Quem é este que até os ventos e o mar lhe obedecem?” (NVI)

(Mc 4.41) 41E eles, possuídos de grande temor, diziam uns aos outros: “Quem é este que até o vento e o mar lhe obedecem?” (NAA)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você não pode copiar o conteúdo desta página.