• aguavivabocaina@gmail.com
  • +55 14 98183-8530

Bíblia Cronológica – Versões | Dia 322

322º Dia – 18 de Novembro

O NOVO TESTAMENTO

CIDADE DE JERUSALÉMA Prisão dos Apóstolos

(At 5.17-20) 17Então o Sumo Sacerdote e todos os seus companheiros, membros do partido dos saduceus, ficaram cheios de inveja. 18Por isso, mandaram prender os Apóstolos, colocando-os numa prisão pública. 19Mas durante a noite um anjo do Senhor abriu as portas do cárcere, levou-os para fora e 20disse: “Dirijam-se ao Templo e relatem ao povo toda a mensagem desta Vida” (NVI).

(At 5.21-24) 21Desse modo, ao amanhecer, os Apóstolos entraram no Templo, conforme haviam sido instruídos, e, sem demora, começaram a ensinar. Mais tarde, o Sumo Sacerdote e seus oficiais chegaram, reuniram o conselho, isto é, toda a assembleia dos líderes de Israel, e mandaram buscar os Apóstolos na prisão. 22Mas, quando os guardas do Templo chegaram à prisão, os homens não estavam lá. Então voltaram e contaram: 23“A prisão estava bem trancada, com os guardas vigiando do lado de fora, mas, quando abrimos as portas, não havia ninguém!” (NVT) 24Quando o capitão do Templo e os principais Sacerdotes ouviram estas informações, ficaram perplexos a respeito deles e do que viria a ser isto (NAA).

(At 5.25-26) 25Nesse momento, alguém chegou e lhes comunicou: Vejam! Os homens que os senhores prenderam estão no Templo ensinando o povo”. 26Então o capitão e os guardas foram e os trouxeram sem violência, porque temiam ser apedrejados pelo povo (NAA).

(At 5.27-32) 27Trouxeram os Apóstolos, apresentando-os ao Sinédrio. E o Sumo Sacerdote os interrogou, 28dizendo: “Não é verdade que ordenamos expressamente que vocês não ensinassem nesse nome? No entanto, vocês encheram Jerusalém com a doutrina de vocês e ainda querem lançar sobre nós o sangue desse homem”. 29Então Pedro e os demais Apóstolos afirmaram: “É mais importante obedecer a Deus do que aos homens. 30O Deus de nossos pais ressuscitou Jesus, a quem vocês mataram, pendurando-o num madeiro. 31Deus, porém, com a sua mão direita, o exaltou a Príncipe e Salvador, a fim de conceder a Israel o arrependimento e a remissão de pecados (NAA). 32Nós somos testemunhas destas coisas, bem como o Espírito Santo, que Deus concedeu aos que lhe obedecem” (NVI).

(At 5.33-34) 33Quando ouviram isso, os membros do conselho se enfureceram e decidiram matá-los. 34Um deles, porém, um fariseu chamado Gamaliel, especialista na Lei e respeitado por todo o povo, levantou-se e ordenou que eles fossem retirados da sala do conselho por um momento (NVT).

(At 5.35-39) 35Em seguida, disse aos demais: “Israelitas, cuidado com o que planejam fazer a esses homens! 36Algum tempo atrás, surgiu um certo Teudas, que afirmava ser alguém importante. Umas quatrocentas pessoas se juntaram a ele, mas foi morto e seus seguidores se dispersaram, e o movimento deu em nada (NVT). 37Depois dele, nos dias do recenseamento, apareceu Judas, o galileu, que liderou um grupo em rebelião. Ele também foi morto, e todos os seus seguidores foram dispersos (NVI). 38Portanto, meu conselho é que deixem esses homens em paz e os soltem. Se o que planejam e fazem é meramente humano, logo serão frustrados (NVT), 39se proceder de Deus, vocês não serão capazes de impedi-los, pois se acharão lutando contra Deus” (NVI).

(At 5.40) 40Eles foram convencidos pelo discurso de Gamaliel. Chamaram os Apóstolos e mandaram açoitá-los. Depois, ordenaram-lhes que não falassem no nome de Jesus e os deixaram sair em liberdade (NVI).

(At 5.41-42) 41Quando os Apóstolos saíram da reunião do conselho, estavam alegres porque Deus os havia considerado dignos de sofrer humilhação pelo nome de Jesus (NVT). 42E todos os dias, no Templo e de casa em casa, não cessavam de ensinar e de pregar que Jesus é o Cristo (NAA).

Servindo mais do que à Mesa

(At 6.1) 1Naqueles dias, crescendo o número de discípulos, os judeus de fala grega entre eles queixaram-se dos judeus de fala hebraica, porque suas viúvas estavam sendo esquecidas na distribuição diária de alimento (NVI).

(At 6.2-4) 2Por isso os Doze reuniram todos os discípulos e disseram: “Não é certo negligenciarmos o Ministério da palavra de Deus, a fim de servir às mesas (NVI). 3Por isso, irmãos, escolham entre vocês sete homens de boa reputação, cheios do Espírito e de sabedoria, para os encarregarmos desse serviço. 4Quanto a nós, nos consagraremos à oração e ao Ministério da palavra” (NAA).

(At 6.5-6) 5Tal proposta agradou a todos. Então escolheram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, além de Filipe, Prócoro, Nicanor, Timom, Pármenas e Nicolau, um convertido ao judaísmo, proveniente de Antioquia (NVI). 6Esses sete foram apresentados aos Apóstolos, que oraram por eles e lhes impuseram as mãos (NVT).

(At 6.7) 7A palavra de Deus crescia e, em Jerusalém, o número dos discípulos aumentava. Também um grande grupo de Sacerdotes obedecia à fé (NAA).

Acusação contra Estevão

(At 6.8-10) 8Estêvão, homem cheio da graça e do poder de Deus, realizava grandes maravilhas e sinais no meio do povo. 9Contudo, levantou-se oposição dos membros da chamada sinagoga dos Libertos, dos judeus de Cirene e de Alexandria, bem como das províncias da Cilícia e da Ásia. Esses homens começaram a discutir com Estêvão (NVI), 10nenhum deles era capaz de resistir à sabedoria e ao Espírito pelo qual Estêvão falava (NVT).

(At 6.11-15) 11Então subornaram alguns homens para que dissessem: “Ouvimos este homem proferir blasfêmias contra Moisés e contra Deus” (NAA). 12Com isso agitaram o povo, os líderes religiosos e os Mestres da Lei. E, prendendo Estêvão, levaram-no ao Sinédrio. 13Ali apresentaram falsas testemunhas, que diziam: “Este homem não para de falar contra este lugar santo e contra a Lei (NVI). 14Nós o ouvimos dizer que esse Jesus de Nazaré destruirá o Templo e mudará os costumes que Moisés nos deixou”. 15Nesse momento, todos os membros do conselho olharam para Estêvão e viram que seu rosto parecia o rosto de um anjo (NVT).

A Defesa de Estevão

(At 7.1-5) 1Então o Sumo Sacerdote perguntou a Estêvão: “São verdadeiras estas acusações?” (NVI) 2Estêvão respondeu: “Irmãos e pais, escutem. O Deus da glória apareceu a Abraão, nosso pai, quando este estava na Mesopotâmia, antes de morar em Harã, 3e lhe disse: ‘Saia da sua terra e do meio da sua parentela e vá para a terra que eu lhe mostrarei’. 4Então Abraão saiu da terra dos caldeus e foi morar em Harã. E dali, com a morte de seu pai, Deus o trouxe para esta terra em que vocês agora estão morando. 5Nela, não lhe deu herança, nem sequer o espaço de um pé; mas prometeu dar-lhe a posse dela e, depois dele, à sua descendência, embora Abraão ainda não tivesse filhos” (NAA).

(At 7.6-7) 6E Deus falou que a descendência dele seria peregrina em terra estrangeira, onde seriam escravizados e maltratados durante quatrocentos anos (NAA). 7Mas Deus disse: ‘Eu castigarei a nação que os escravizar, e, por fim, sairão dali e me adorarão neste lugar’(NVT).

(At 7.8) 8“Naquele tempo, Deus deu a Abraão a aliança da circuncisão. Assim, quando seu filho Isaque nasceu, ele o circuncidou no oitavo dia. Essa prática continuou quando nasceu Jacó, filho de Isaque, e quando nasceram os doze filhos de Jacó, os patriarcas de Israel” (NVT).

(At 7.9-10) 9“Os patriarcas, tendo inveja de José, venderam-no como escravo para o Egito. Mas Deus estava com ele (NVI) 10e o livrou de todas as suas dificuldades. Deus concedeu a José favor e sabedoria diante do Faraó, rei do Egito, e o Faraó o nomeou governador de todo o Egito e administrador de seu palácio” (NVT).

(At 7.11-13) 11Depois houve fome em todo o Egito e em Canaã, trazendo grande sofrimento, e os nossos antepassados não encontravam alimento. 12Ouvindo que havia trigo no Egito, Jacó enviou nossos antepassados em sua primeira viagem. 13Na segunda viagem deles, José fez-se reconhecer por seus irmãos, e o Faraó pôde conhecer a família de José” (NVI).

(At 7.14-16) 14Depois disso, José mandou buscar seu pai, Jacó, e toda a sua família, que eram setenta e cinco pessoas (NVI). 15Assim, Jacó foi para o Egito e ali morreu, bem como nossos antepassados (NVT). 16Seus corpos foram levados de volta a Siquém e colocados no túmulo que Abraão havia comprado ali dos filhos de Hamor, por certa quantia” (NVI).

(At 7.17-19) 17Aproximando-se o tempo em que Deus cumpriria sua promessa a Abraão, nosso povo se multiplicou grandemente no Egito. 18Então subiu ao trono do Egito um novo rei, que nada sabia a respeito de José. 19Esse rei explorou e oprimiu nosso povo, forçando os pais a abandonarem seus filhos recém-nascidos, para que morressem” (NVT).

(At 7.20-22) 20Por essa época, nasceu Moisés, um bebê especial aos olhos de Deus. Seus pais cuidaram dele em casa por três meses (NVT). 21Quando tiveram de abandoná-lo, a filha de Faraó o recolheu e criou como seu próprio filho (NAA). 22Moisés foi educado em toda a sabedoria dos egípcios e veio a ser poderoso em palavras e obras” (NVI).

(At 7.23-25) 23Ao completar quarenta anos, Moisés decidiu visitar seus irmãos israelitas. 24Ao ver um deles sendo maltratado por um egípcio, saiu em defesa do oprimido e o vingou, matando o egípcio. 25Ele pensava que seus irmãos compreenderiam que Deus o estava usando para salvá-los, mas eles não o compreenderam” (NVI).

(At 7.26-29) 26No dia seguinte, Moisés dirigiu-se a dois israelitas que estavam brigando, e tentou reconciliá-los, dizendo: ‘Homens, vocês são irmãos; por que ferem um ao outro?’ 27Mas o homem que maltratava o outro empurrou Moisés e disse: ‘Quem o nomeou líder e juiz sobre nós? (NVI) 28Vai me matar como matou o egípcio ontem?’ (NVT) 29Ouvindo isso, Moisés fugiu para Midiã, onde ficou morando como estrangeiro e teve dois filhos” (NVI).

(At 7.30-34) 30Passados quarenta anos, apareceu a Moisés um anjo nas labaredas de uma sarça em chamas no deserto, perto do monte Sinai (NVI). 31Quando Moisés viu aquilo, ficou admirado. Aproximando-se para observar melhor, ouviu a voz do Senhor, que disse (NVT): 32Eu sou o Deus dos seus antepassados, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó’. Moisés, tremendo de medo, não ousava olhar. 33Então o Senhor lhe disse: ‘Tire as sandálias dos pés, porque o lugar em que você está é terra santa. 34De fato tenho visto a opressão sobre o meu povo no Egito. Ouvi seus gemidos e desci para livrá-lo. Venha agora, e eu o enviarei de volta ao Egito’(NVI).

(At 7.35-38) 35A este Moisés, a quem tinham rejeitado, dizendo: ‘Quem colocou você como chefe e juiz?’, Deus enviou como chefe e libertador, com a assistência do anjo que lhe apareceu na sarça. 36Foi Moisés quem os tirou de lá, fazendo prodígios e sinais na terra do Egito, no mar Vermelho e no deserto, durante quarenta anos. 37Foi ainda Moisés quem disse aos filhos de Israel: ‘Deus fará com que, do meio dos irmãos de vocês, se levante um Profeta semelhante a mim’. 38É este Moisés quem esteve na congregação no deserto, com o anjo que lhe falava no monte Sinai e com os nossos pais. Foi ele quem recebeu palavras vivas para nos transmitir” (NAA).

(At 7.44-45) 44No deserto os nossos antepassados tinham o Tabernáculo da Aliança, que fora feito segundo a ordem de Deus a Moisés, de acordo com o modelo que ele tinha visto. 45Tendo recebido o Tabernáculo, nossos antepassados o levaram, sob a liderança de Josué, quando tomaram a terra das nações que Deus expulsou de diante deles. Esse Tabernáculo permaneceu nesta terra até a época de Davi” (NVI).

(At 7.46-50) 46Davi encontrou favor diante de Deus e pediu para construir um Templo permanente para o Deus de Jacó (NVT), 47mas foi Salomão quem lhe construiu a casa (NVI). 48O Altíssimo, porém, não habita em Templos feitos por mãos humanas. Como diz o Profeta: 49‘O céu é meu trono, e a terra é o suporte de meus pés. Acaso construiriam para mim um Templo assim tão bom?’, diz o Senhor. ‘Que lugar de descanso me poderiam fazer? 50Acaso não foram minhas mãos que criaram o céu e a terra?’(NVT)

(At 7.39-43) 39Nossos pais não quiseram obedecer a Moisés, mas o rejeitaram e, no seu coração, voltaram para o Egito, 40dizendo a Arão: ‘Faça para nós deuses que vão adiante de nós; porque, quanto a este Moisés, que nos tirou da terra do Egito, não sabemos o que lhe aconteceu’ (NAA). 41Naquela ocasião fizeram um ídolo em forma de bezerro. Trouxeram-lhe sacrifícios e fizeram uma celebração em honra ao que suas mãos tinham feito. 42Mas Deus afastou-se deles e os entregou à adoração dos astros, conforme o que foi escrito no livro dos Profetas: ‘Foi a mim que vocês apresentaram sacrifícios e ofertas durante os quarenta anos no deserto, ó nação de Israel? 43Em vez disso, levantaram o santuário de Moloque e a estrela do seu deus Renfã, ídolos que vocês fizeram para adorar! Portanto, eu os enviarei para o exílio, para além da Babilônia’(NVI).

(At 7.51-53) 51Homens teimosos e incircuncisos de coração e de ouvidos, vocês sempre resistem ao Espírito Santo. Vocês fazem exatamente o mesmo que fizeram os seus pais. 52Qual dos Profetas os pais de vocês não perseguiram? Eles mataram os que anteriormente anunciavam a vinda do Justo, do qual vocês agora se tornaram traidores e assassinos (NAA), 53vocês, que receberam a Lei por intermédio de anjos, mas não lhe obedeceram” (NVI).

Estevão é Apedrejado

(At 7.54-57) 54Ouvindo isso, ficaram furiosos e rangeram os dentes contra ele (NVI). 55Mas Estêvão, cheio do Espírito Santo, levantou os olhos para o céu e viu a glória de Deus, e Jesus em pé, à direita de Deus, 56e disse: “Vejo os céus abertos e o Filho do Homem em pé, à direita de Deus” (NVI). 57Eles, porém, gritando bem alto, taparam os ouvidos e, unânimes, avançaram contra ele (NAA).

(At 7.58-60) 58Arrastaram-no para fora da cidade e começaram a apedrejá-lo. Seus acusadores tiraram os mantos e os deixaram aos pés de um jovem chamado Saulo. 59Enquanto atiravam as pedras, Estêvão orou: “Senhor Jesus, recebe o meu espírito” (NVT). 60Então, ajoelhando-se, gritou bem alto: “Senhor, não os condene por causa deste pecado!” E, depois que ele disse isso, morreu (NAA).

(At 8.1) 1aE Saulo estava ali, consentindo na morte de Estêvão (NVI).

(At 8.2) 2Alguns homens piedosos sepultaram Estêvão e fizeram grande lamentação por ele (NAA).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você não pode copiar o conteúdo desta página.