• aguavivabocaina@gmail.com
  • +55 14 98183-8530

Bíblia Cronológica – Versões | Dia 148

148º Dia – 28 de Maio

REINADO DE SALOMÃO

CENÁRIO HISTÓRICO: Palavras de Salomão, O Pregador (Aproximadamente 946 a.C.) CURIOSIDADES:

  • Salomão com 57 anos
  • 39º ano do Reinado de Salomão
  • Roboão com 40 anos (Filho de Salomão com a amonita Naama)
  • Abias com 16 anos (Filho de Roboão e neto de Salomão)
  • Joiada com 4 anos (Sumo-Sacerdote – Reino de Judá)

CIDADE DE JERUSALÉM

(Ec 1.1) 1Estas são as palavras do Mestre, filho de Davi, que reinou em Jerusalém (NVT).

Tudo é Vaidade

(Ec 1.2-3) 2É ilusão, é ilusão, diz o Sábio. Tudo é ilusão (NTLH). 3O que o homem ganha com todo o seu trabalho em que tanto se esforça debaixo do sol? (NVI)

(Ec 1.4-7) 4Gerações vêm e gerações vão, mas a Terra permanece a mesma. 5O sol nasce, o sol se põe e, logo, retorna a seu lugar para nascer outra vez (NVT). 6O vento sopra para o sul e vira para o norte; dá voltas e mais voltas, seguindo sempre o seu curso (NVI). 7Os rios correm para o mar, mas ele nunca se enche; a água retorna aos rios e corre novamente para o mar (NVT).

(Ec 1.8-9) 8Tudo é tão cansativo que não há como descrever. Não importa quanto vemos, nunca ficamos satisfeitos; não importa quanto ouvimos, nunca nos contentamos (NVT). 9O que foi tornará a ser, o que foi feito se fará novamente; não há nada novo debaixo do sol (NVI).

(Ec 1.10-11) 10Haverá algo de que se possa dizer: “Veja! Isto é novo!?” Não! Já existiu há muito tempo; bem antes da nossa época (NVI). 11Não nos lembramos do que aconteceu no passado, e as gerações futuras tampouco se lembrarão do que fazemos hoje (NVT).

A Experiência do Pregador

(Ec 1.12-13) 12Eu, o Mestre, fui rei de Israel em Jerusalém (NVI). 13Dediquei-me a investigar e a usar a sabedoria para explorar tudo que é feito debaixo do céu. Que fardo pesado Deus Elohym pôs sobre os homens! (NVI)

(Ec 1.14-18) 14Observei tudo que acontece debaixo do sol e, de fato, nada faz sentido; é como correr atrás do vento (NVT). 15O que é torto não pode ser endireitado; o que está faltando não pode ser contado. 16Pensei comigo mesmo: “Eu me tornei famoso e ultrapassei em sabedoria todos os que governaram Jerusalém antes de mim; de fato adquiri muita sabedoria e conhecimento” (NVI). 17Então me dediquei a aprender de tudo: desde a sabedoria até a loucura e a insensatez. Descobri, por experiência, que procurar essas coisas também é como correr atrás do vento. 18Quanto maior a sabedoria, maior a aflição; quanto maior o conhecimento, maior a tristeza (NVT).

A Vaidade das Possessões

(Ec 2.1-2) 1Disse a mim mesmo: “Venha, vamos experimentar o prazer; vamos procurar as coisas boas da vida!” Descobri, porém, que isso também não fazia sentido (NVT). 2Cheguei à conclusão de que o riso é tolice e de que o prazer não serve para nada (NTLH).

(Ec 2.3-8) 3Decidi-me entregar ao vinho e à extravagância; mantendo, porém, a mente orientada pela sabedoria. Eu queria saber o que valesse a pena, debaixo do céu, nos poucos dias da vida humana (NVI). 4Dediquei-me a projetos grandiosos, construindo casas enormes e plantando belos vinhedos. 5Fiz jardins e parques e os enchi de árvores frutíferas de toda espécie. 6Construí açudes para juntar água e regar meus pomares verdejantes. 7Comprei escravos e escravas, e outros nasceram em minha casa. Tive muito gado e rebanhos, mais que todos os que viveram em Jerusalém antes de mim. 8Juntei grande quantidade de prata e ouro, tesouros de muitos reis e províncias. Contratei cantores e cantoras e tive muitas concubinas. Tive tudo que um homem pode desejar! (NVT)

(Ec 2.9-11) 9Tornei-me mais famoso e poderoso do que todos os que viveram em Jerusalém antes de mim, conservando comigo a minha sabedoria. 10Não me neguei nada que os meus olhos desejaram; não me recusei a dar prazer algum ao meu coração. Na verdade, eu me alegrei em todo o meu trabalho; essa foi a recompensa de todo o meu esforço (NVI). 11Mas, ao olhar para tudo que havia me esforçado tanto para realizar, vi que nada fazia sentido; era como correr atrás do vento. Não havia nada que valesse a pena debaixo do sol (NVT).

A Vaidade da Sabedoria

(Ec 2.12-13) 12Então passei a refletir na sabedoria, na loucura e na insensatez. O que pode fazer o sucessor do rei a não ser repetir o que já foi feito? (NVI) 13E cheguei à conclusão de que a sabedoria é melhor do que a tolice, assim como a luz é melhor do que a escuridão (NTLH).

(Ec 2.14-17) 14O homem sábio tem olhos que enxergam, mas o tolo anda nas trevas; todavia, percebi que ambos têm o mesmo destino (NVI). 15Então pensei comigo mesmo: “O que acontece ao tolo também me acontecerá. Que proveito eu tive em ser sábio?” Então eu disse no meu íntimo: “Isso não faz o menor sentido! (NVI) 16Pois nem o sábio nem o tolo serão lembrados para sempre; pois, passados alguns dias, tudo cai no esquecimento. Ah! O sábio morre do mesmo modo que o tolo!” (NAA) 17Por isso, a vida começou a não valer nada para mim; ela só me havia trazido aborrecimentos. Tudo havia sido ilusão; eu apenas havia corrido atrás do vento (NTLH).

A Vaidade do Trabalho

(Ec 2.18-19) 18Desprezei todas as coisas pelas quais eu tanto me esforçara debaixo do sol, pois terei que deixá-las para aquele que me suceder. 19E quem pode dizer se ele será sábio ou tolo? Contudo, terá domínio sobre tudo o que realizei com o meu trabalho e com a minha sabedoria debaixo do sol. Isso também não faz sentido (NVI).

(Ec 2.20-21) 20Cheguei ao ponto de me desesperar por causa de todo o trabalho em que tanto me esforcei debaixo do sol. 21Pois um homem pode realizar o seu trabalho com sabedoria, conhecimento e habilidade, mas terá que deixar tudo o que possui como herança para alguém que não se esforçou por aquilo. Isso também é um absurdo e uma grande injustiça (NVI).

(Ec 2.22-23) 22Que proveito tem um homem de todo o esforço e de toda a ansiedade com que trabalha debaixo do sol? 23Durante toda a sua vida, seu trabalho não passa de dor e tristeza; mesmo à noite a sua mente não descansa. Isso também é absurdo (NVI).

(Ec 2.24-26) 24Para o homem não existe nada melhor do que comer, beber e encontrar prazer em seu trabalho. E vi que isso também vem da mão de Deus Elohym (NVI), 25pois, separado deste, quem pode comer ou quem pode alegrar-se? 26Porque Deus dá sabedoria, conhecimento e prazer à pessoa que lhe agrada; mas ao pecador dá trabalho, para que ele ajunte e amontoe, a fim de dar àquele que agrada a Deus Elohym . Também isto é vaidade e correr atrás do vento (NAA).

Tempo para Tudo

(Ec 3.1-8) 1Para tudo há uma ocasião, e um tempo para cada propósito debaixo do céu: 2Tempo de nascer e tempo de morrer, tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou, 3tempo de matar e tempo de curar, tempo de derrubar e tempo de construir (NVI), 4tempo de chorar, e tempo de rir, tempo de se entristecer, e tempo de dançar. 5Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntá-las, tempo de abraçar, e tempo de se afastar (NVT), 6tempo de procurar e tempo de perder, tempo de guardar e tempo de jogar fora (NAA), 7tempo de rasgar e tempo de costurar, tempo de calar e tempo de falar, 8tempo de amar e tempo de odiar, tempo de lutar e tempo de viver em paz (NVI).

(Ec 3.9-11) 9O que ganha o trabalhador com todo o seu esforço? 10Tenho visto o fardo que Deus Elohym impôs aos homens (NVI). 11E, no entanto, Deus fez tudo apropriado para seu devido tempo. Ele colocou um senso de eternidade no coração humano, mas mesmo assim ninguém é capaz de entender toda a obra de Deus Elohym , do começo ao fim (NVT).

(Ec 3.12-13) 12Descobri que não há nada melhor para o homem do que ser feliz e praticar o bem enquanto vive. 13Descobri também que poder comer, beber e ser recompensado pelo seu trabalho, é um presente de Deus Elohym (NVI).

(Ec 3.14-15) 14Sei que tudo o que Deus Elohym faz permanecerá para sempre; a isso nada se pode acrescentar, e disso nada se pode tirar. Deus Elohym assim faz para que os homens o temam (NVI). 15O que acontece agora já aconteceu antes, e o que acontecerá no futuro também já aconteceu, pois Deus Elohym faz as mesmas coisas acontecerem repetidamente (NVT).

Do Pó ao Pó

(Ec 3.16-20) 16Descobri também que debaixo do sol: No lugar da justiça havia impiedade, no lugar da retidão, ainda mais impiedade. 17Pensei comigo mesmo: “O justo e o ímpio, Deus Elohym julgará a ambos, pois há um tempo para todo propósito, um tempo para tudo o que acontece” (NVI). 18Aí cheguei à conclusão de que Deus Elohym está pondo as pessoas à prova para que elas vejam que não são melhores do que os animais (NTLH). 19O destino do homem é o mesmo do animal; o mesmo destino os aguarda. Assim como morre um, também morre o outro. Todos têm o mesmo fôlego de vida; o homem não tem vantagem alguma sobre o animal. Nada faz sentido! 20Todos vão para o mesmo lugar; vieram todos do pó, e ao pó todos retornarão (NVI).

(Ec 3.21-22) 21Quem pode dizer se o fôlego do homem sobe às alturas e se o fôlego do animal desce para a terra? (NVI) 22Vi, portanto, que a melhor coisa a fazer é alegrar-se com seu trabalho. É isso que nos cabe na vida. Ninguém nos trará de volta para ver o que acontece depois que morremos (NVT).

SALMOS DOS FILHOS DE CORÁA Vaidade do Ser Humano

(Sl 49.1-9) 1Ouçam isto, todos os povos! Escutem, todos os habitantes da Terra! 2Toda a humanidade, sem exceção, tanto ricos como pobres, prestem atenção! 3Pois minhas palavras são sábias, e meus pensamentos, cheios de entendimento (NVT). 4Inclinarei os meus ouvidos a um provérbio; com a harpa exporei o meu enigma (NVI): 5Por que deverei temer quando vierem dias maus, quando inimigos traiçoeiros me cercarem, 6aqueles que confiam em seus bens e se gabam de suas muitas riquezas? 7Homem algum pode redimir seu irmão ou pagar a Deus Elohym o preço de sua vida, 8pois o resgate de uma vida não tem preço. Não há pagamento que o livre 9para que viva para sempre e não sofra decomposição (NVI).

(Sl 49.10-12) 10Pois todos podem ver que os sábios morrem, como perecem o tolo e o insensato e para outros deixam os seus bens (NVI). 11Em seu íntimo pensam que as suas casas serão perpétuas e, as suas moradas, para todas as gerações; chegam a dar o seu próprio nome às suas terras (NAA). 12O homem, mesmo que muito importante, não vive para sempre; é como os animais, que perecem (NVI).

(Sl 49.13-15) 13Este é o destino dos que confiam em si mesmos, e dos seus seguidores, que aprovam o que eles dizem (NVI). 14Como ovelhas são postos no Sheol; a morte é o seu pastor; eles descem diretamente para a cova, onde a sua formosura se consome; o Sheol é o lugar em que habitam (NAA). 15Mas Deus Elohym remirá a minha alma do poder do Sheol, pois ele me tomará para si (NAA).

(Sl 49.16-20) 16Não se aborreça quando alguém se enriquece e aumenta o luxo de sua casa (NVI), 17pois, quando morrer, nada levará consigo, a sua glória não o acompanhará. 18Ainda que durante a vida ele tenha se lisonjeado, e ainda que o louvem quando faz o bem a si mesmo, 19irá juntar-se à geração de seus pais, os quais já não verão a luz (NAA). 20O ser humano, por mais importante que seja, não pode escapar da morte; como os animais morrem, ele também morre (NTLH).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você não pode copiar o conteúdo desta página.